Brasileiros criam método para estudar danos do Alzheimer ao cérebro

Pesquisadores do Brasil e do Canadá desenvolveram um novo protocolo de pesquisa com exemplares de macacos para analisar os efeitos do Alzheimer no cérebro e, com isso, ajudar na busca da cura para a doença, que, segundo estimativas, afeta 36 milhões de pessoas no mundo.

O grupo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em parceria com a Queen’s University, de Kingston, “recriou” os sintomas da enfermidade em primatas jovens que estavam em um laboratório canadense. A prática substitui o emprego de animais idosos nas investigações. Ler matéria completa