Transporte MP

TEXTOS – MEMBRANA PLASMÁTICA, ORGANELAS E TRANSPORTE CELULAR

Dessalinização da água

Além de pequena, a quantidade de água doce disponível para o consumo humano não é distribuída de forma igualitária.

Para piorar a situação, o aumento demográfico e a poluição comprometem ainda mais o uso dessa água, que pode acabar se não forem tomadas medidas severas que promovam o seu uso sustentado, garantindo assim sua renovação.

Uma das alternativas para as regiões que sofrem com a escassez de água doce é tratar a água salobra e a água do mar. Para torna-la potáveis, ou seja, apropriadas ao consumo humano, é necessário fazer a dessalinização.

O que é a dessalinização?

Dessalinização é um processo físico-químico de retirada de sais de água, tornando-a doce, ou potável. Em todo o mundo são adotados quatro métodos diferentes para promover a conversão da água salgada em doce: a Osmose Inversa.

Também conhecida como Osmose Reversa, ocorre quando se exerce forte pressão (mecânica) em uma solução salina. A água atravessa uma membrana semipermeável, dotada de poros microscópicos, responsáveis por reter os sais, os microrganismos e outras impurezas. Dessa forma, o líquido puro se “descola” da solução salgada, ficando separado em outro local. As estações de dessalinização atuais utilizam tecnologia de ponta, com membranas osmóticas sintéticas.

É viável dessalinizar água?

É viável para países que não possuem muitas reservas de água, como a Arábia Saudita, Israel e Kuwait, ou locais como a Ilha de Chipre, onde os lençóis freáticos foram reduzidos por conta da exploração exagerada. Em Chipre, a água do mar abastece a população e também serve para recuperar os lençóis.

É também uma alternativa para a tripulação de navios que ficam meses no mar ou para exploradores e cientistas que promovem pesquisas em regiões desprovidas de água doce.

Diversos governos e instituições investem em pesquisas para o desenvolvimento de processos de dessalinização que sejam eficientes, adequados às características regionais e que tenham um custo reduzido. Esse tipo de tratamento é muito mais caro que o convencional.

  1. A água doce é disponível para todos? Explique.
  2. O que é a dessalinização?
  3. Qual é o outro nome dado a dessalinização?
  4. Explique como ocorre a osmose reversa.
  5. É viável dessalinizar a água?
  6. Em que situações a dessalinização é uma alternativa?

Doenças lisossomais

São conhecidas atualmente inúmeras doenças e síndromes relacionadas aos lisossomos.

Na silicose, por exemplo, trabalhadores sujeitos a uma atmosfera rica em pó de silício (cortadores de mármore, operários de fundições, etc.) inalam constantemente partículas microscópicas. As partículas maiores são retidas nas vias aéreas; mas as menores atingem os pulmões. Nos alvéolos pulmonares, essas partículas são fagocitas por glóbulos brancos. Elas, porém, não são digeridas, uma vez que as enzimas lisossomais atuam apenas sobre moléculas orgânicas. Ocorre, então, o rompimento dos vacúolos digestivos e a liberação de seu conteúdo. As enzimas lisossomais digerem o tecido pulmonar, causando lesões. No processo de cicatrização, o tecido pulmonar é substituído por um tecido mais fibroso. Como consequência, o pulmão perde elasticidade, e, além disso, as áreas lesionadas não permitem a difusão normal de gás oxigênio ao sangue. O resultado é que a respiração exige maior esforço. Dependendo da quantidade de pó de sílica presente no ar inalado, os sintomas podem começar a aparecer em menos de dez anos de exposição à atmosfera com muito pó.

Os indivíduos afetados apresentam, inicialmente, tosse e escarro. Com a evolução da doença, surge a dificuldade respiratória, até mesmo quando em repouso. A dificuldade de respirar sobrecarrega o coração, podendo conduzir a um quadro de insuficiência cardíaca. Além disso, as pessoas com silicose tornam-se mais sujeitas à infecção por Mycobacterium tuberculosis, a bactéria causadora da tuberculose.

A silicose não tem cura. O controle da poeira no local de trabalho, além de uso de máscaras e filtros protetores, são as melhores formas de prevenção. Recomenda-se, também, a realização de radiografias torácicas regularmente. Aos primeiros sinais da doença, o trabalhador deve ser afastado das áreas de maior exposição à sílica.

Doenças similares são a doença dos mineiros, mal que acontece os trabalhadores de minas de carvão, e a asbestose, que afeta os operários que trabalham com produtos à base de amianto. Muitos médicos alertam que habitantes das grandes cidades podem desenvolver sintomas de silicose, devido à enorme quantidade de partículas minerais presentes na atmosfera poluída. Em muitos países, essa preocupação já fez as autoridades proibirem a utilização de amianto na fabricação de peças utilizadas nos freios dos automóveis e demais veículos motorizados: o acionamento dos freios desgasta lonas e pastilhas, lançando no ambiente grandes quantidades de partículas de amianto, que poderiam ser inaladas.

  1. Explique porque as partículas de sílica não são digeridas pelos glóbulos brancos.
  2. Quais são os sintomas da silicose?
  3. A silicose tem cura?
  4. O que é a asbestose?
  5. Explique porque habitantes de grandes cidades podem desenvolver os sintomas da silicose.

Morte celular programada

Ao longo do desenvolvimento de um organismo, há momentos em que grupos de células são destruídos. É o que ocorre durante a regressão da cauda do girino (larva do sapo) no processo de metamorfose. Ou durante a modelagem dos dedos do embrião humano: inicialmente, os dedos estão unidos por uma membrana (como em um pé de pato), que é removida pela destruição de suas células.

Antigamente se pensava que esses processos aconteciam por causa da ruptura da membrana do lisossomo, provocando a destruição da célula. O fenômeno foi chamado de autólise ou citólise. Hoje se sabe que se trata de um processo diferente, chamado morte celular programada, que envolve uma série de alterações que provocam a morte das células por meio de enzimas, do citoplasma e do núcleo, que estavam na forma inativa.

O tipo mais comum de morte celular programada é chamado apoptose (palavra de origem grega que se refere à “queda das folhas das árvores no outono”). Ele ocorre nos tecidos que sofrem renovação contínua no adulto, como a epiderme, e ajuda também a remover células defeituosas ou que estejam multiplicando em excesso.

Na apoptose, a célula perde água e encolhe, a mitocôndria arrebenta, e o DNA no interior do núcleo é destruído e, juntamente com o citoplasma, é eliminado da célula na forma de vesículas (corpos apoptóticos) que brotam da célula. A célula termina fagocitada por macrófagos e por outras células de defesa.

  1. Escreva um exemplo de destruição de células nos seres humanos.
  2. O que é a morte celular programada?
  3. O que é a apoptose? Como ela ocorre?

Artrite reumatoide

A liberação de enzimas dos lisossomos para fora da célula também ocorre em certas doenças inflamatórias – como a artrite reumatoide -, nas quais se acredita haver liberação dessas enzimas para o espaço extracelular, causando deterioração dos materiais que formam as articulações.

  1. Qual organela celular está associada à esta doença?
  2. Quais partes do corpo são afetadas pela doença?

Doença de Tay-Sachs

A doença de Tay-Sachs é hereditária e decorre principalmente do mau funcionamento das enzimas dos lisossomos das células nervosas do cérebro. Essa deficiência provoca lesões graves e irreversíveis, determinando retardo mental e morte ainda na infância.

  1. Qual organela celular está associada à esta doença?
  2. Quais são os sintomas da doença?

Células vegetais e a osmose

Em países pobres, as diarreias infecciosas respondem por mais de 25% das mortes das crianças com idade inferior a um ano. Das causas da diarreia infecciosa, uma das mais letais é a cólera, provocada pela bactéria da espécie Vibrio cholerae. Esse microrganismo produz a toxina colérica, que estimula a secreção de íons cloreto pelas células da mucosa intestinal, acarretando perda de grandes quantidades de água, por osmose, para a luz do intestino delgado. Pessoas doentes chegam a perder mais de 20 litros de água por dia, pelas fezes. Além da gravidade da doença, destaca-se ainda o seu caráter epidêmico (aumento de casos de uma determinada doença em curto período e uma da região) e, algumas vezes, pandêmico, isto é, pode alastrar-se rapidamente por diversos países ou mesmo por mais de um continente.

  1. Como a bactéria da cólera age no organismo humano?

Deixe uma resposta