Surfe, mágica e feminismo: Alunos da rede pública ganham aulas extras dos sonhos

Jéssica Rodrigues de Borba, 16, queria debater machismo e racismo na escola estadual onde estuda, no extremo sul de São Paulo, mas não encontrava espaço. "Isso nunca é passado em sala de aula", diz a adolescente à BBC Brasil. "Sobre o racismo aprendemos só o básico. De machismo, nada. E é algo importante, todo mundo tem de estar ciente."

Até que, no final de outubro, ela conseguiu que palestrantes especializados fossem a sua escola dar uma aula extracurricular sobre os dois temas, assistida por 170 de seus colegas estudantes. "Agora vou pedir uma palestra sobre maioridade penal", diz Jéssica. "É um assunto de que os professores fogem." Ler matéria completa