Escola deverá explicar expulsão de alunas, diz Conselho de Educação

O Conselho Estadual de Educação (CEE) de Goiás informou, nesta segunda-feira (04), que notificará o Instituto Adventista Brasil Central (IABC), um internato em Abadiânia, no leste do estado, acusado de expulsar duas alunas após a direção do colégio interno ficar sabendo que elas mantinham um namoro homossexual. O caso foi parar na Justiça depois de uma delas entrar com processo contra a escola.

Para o presidente do CEE, José Geraldo de Santana, a atitude da direção foi "inaceitável". Segundo ele, o conselho pedirá documentos que expliquem a forma como as duas alunas foram expulsas do colégio interno. "Não se admite a expulsão de aluno da escola, exceto quando há sentença condenatória já julgada ou caso de flagrante de crime de prisão. Isso não significa dizer que as instituições não precisam ter regras e que essas regras não devam ser cumpridas pelos alunos", diz Santana. Ler matéria completa