Medicina da USP vai criar centro de defesa para alunas vítimas de estupro

A Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) anunciou, na tarde desta quarta-feira (12), que vai criar um centro de direitos humanos para dar assistência jurídica e psicológica para apoiar alunos do curso que se sentirem "vítimas de qualquer tipo de violação" como agressões sexuais, machismo racismo e homofobia. Em nota divulgada nesta tarde, a faculdade diz que o centro "estará atuando em até 40 dias", e contará com membros da diretoria da faculdade, além de professores e especialistas.

Ainda de acordo com o comunicado, a FMUSP diz que "o novo órgão também terá como missão, além do acolhimento das vítimas, a apuração de denúncias e a eventual punição dos envolvidos, de acordo com o regimento da Universidade de São Paulo, e a promoção de políticas institucionais em defesa dos direitos humanos". Ler matéria completa