Fecundação in vitro que usa DNA de 3ª pessoa tem aval do Reino Unido

O governo britânico deu "sinal verde" ao processo que poderá autorizar um novo tratamento de fecundação “in vitro”, considerado revolucionário e controverso, que utiliza o DNA de uma terceira pessoa com o objetivo de impedir o surgimento de enfermidades mitocondriais. O procedimento, chamado de transferência mitocondrial, utiliza um pedaço do DNA de uma doadora saudável para evitar que mães transfiram para seus bebês doenças genéticas. A metodologia pioneira foi desenvolvida por cientistas da Universidade Newcastle e tem como alvo combater doenças provocadas por falhas em mitocôndrias, que são pequenos produtores de energia presentes nas células humanas.

Distúrbios mitocondriais podem afetar partes do corpo que mais necessitam de energia, como o coração, cérebro e músculos. De acordo com o jornal britânico “The Guardian”, uma a cada 6.500 pessoas nasce com alguma doença mitocondrial. Ler matéria completa