Questões DNA RNA

  1. A respeito dos ácidos nucléicos (DNA e RNA) podemos afirmar que:

A) gene é um segmento de RNA capaz de produzir proteína.

B) a uracila é a base nitrogenada exclusiva do DNA.

C) a duplicação do DNA é dita semiconservativa porque cada novo DNA conserva metade do DNA antigo.

D) a pentose do DNA é a ribose.

 

  1. Para que possa ocorrer a síntese de proteínas, devem ocorrer em ordem os seguintes eventos:

A) replicação, transcrição e tradução.

B) transcrição, replicação e tradução.

C) transcrição e tradução.

D) tradução, transcrição e replicação.

 

  1. A molécula de DNA é constituída por:

A) uma cadeia de aminoácidos unidos por pontes de hidrogénio.

B) duas cadeias de aminoácidos formando uma dupla hélice.

C) uma cadeia de nucleotídeos que tem a capacidade de se replicar.

D) duas cadeias de nucleotídeos unidas por pontes de hidrogénio.

 

  1. Numa molécula de DNA, a quantidade de…

A) adenina mais timina é igual à de citosina mais guanina.

B) citosina mais uracila é igual à de timina mais adenina.

C) uracila mais adenina é igual à de citosina mais guanina.

D) guanina mais timina é igual à de citosina mais uracila.

E) adenina mais citosina é igual à de guanina mais timina.

 

  1. Quais são os nucleotídeos que compõem o RNA?

     

  2. Quais são os nucleotídeos que compõem o DNA?

 

  1. Quais são as diferenças entre DNA e RNA?

 

  1. O esquema seguinte representa duas cadeias de ácidos nucleicos. Podemos concluir que…


A) I e II correspondem a duas moléculas de RNA.

B) I e II correspondem a duas cadeias de uma molécula de RNA.

C) I e II correspondem a duas cadeias de uma molécula de DNA.

D) I corresponde a uma cadeia de DNA e II a uma cadeia de RNA.

E) I corresponde a uma cadeia de RNA e II a uma cadeia de DNA.

 

  1. O esquema seguinte é referente à estrutura do DNA. Os algarismos 1, 2 e 3 representam, respectivamente…


A) base nitrogenada, desoxirribose e fosfato.

B) base nitrogenada, fosfato e desoxirribose.

C) fosfato, desoxirribose e base nitrogenada.

D) fosfato, base nitrogenada e desoxirribose.

 

  1. Numere a 2ª. Coluna de acordo com a 1ª.

Coluna 1

1 – DNA

2 – RNA

Coluna 2

( ) Dupla hélice

( ) Ribose

( ) Fita única ou simples

( ) Desoxirribose

( ) Bases nitrogenadas: adenina, guanina, citosina, timina

( ) Bases nitrogenadas: adenina, guanina, citosina, uracila.

 

A sequência correta é:

a) 1 – 2 – 1 – 2 – 2 – 1

b) 2 – 1 – 1 – 2 – 2 – 2

c) 1 – 2 – 2 – 1 – 1 – 2

d) 2 – 1 – 2 – 1 – 1 – 2

e) 1 – 1 – 2 – 2 – 2 – 1

 

  1. Baseado em seus conhecimentos, identifique o segmento de RNA formado a partir desse trecho de DNA:

AAA AAT CAA GTA

a) UUU UUA GUU CAU

b) UUU UUT GUU CTU

c) AAA AAU CAA GUA

d) TTT TTA GTT CAT

e) TTT UUA GUU CAT

 

  1. Na medicina moderna, drogas conhecidas como anti-sense têm sido utilizadas com sucesso no bloqueio da expressão de genes indesejáveis. Essas drogas são, na realidade, sequências de nucleotídeos de RNA que têm complementaridade de bases com o RNAm. Esses nucleotídeos (anti-sense), ligam-se ao RNAm, no citoplasma, impedindo a expressão gênica. Baseando-se na afirmativa anterior, marque a sequência correta da droga anti-sense, para o seguimento gênico hipotético: ATATGCAGCAGTATG

a) AUAUGCAGCAGUAUG

b) ATATGCAGCAGTATG

c) TATACGTCGTCATAC

d) UAUACGUCGUCAUAC

e) TATACGUGCUCATAC

 

  1. Num organismo um pesquisador verificou que uma molécula de DNA continha 22% de GUANINA. Com base nesta informação determine qual o percentual de cada uma das outras bases.

     

  2. Em um experimento, foi observado que, no DNA de um determinado organismo, o conteúdo de citosina era de 30%. Assinale na tabela abaixo a alternativa que indica corretamente os percentuais de guanina, adenina e timina.
    1. 15%, 35%, 35%
    2. 20%, 25%, 25%
    3. 30%, 20%, 20%
    4. 10%, 10%, 10%

 

A descoberta de que o DNA é o gene: a história de uma investigação

    Em 1927, Frederick Griffith, microbiologista britânico, desenvolvia uma vacina contra a pneumonia trabalhando em laboratório com pneumococos, bactérias causadoras dessa doença. Há duas formas de pneumococos: os capsulados, que possuem uma cápsula gelatinosa ao seu redor, e os não capsulados. Além dessa diferença de estrutura, o efeito desses pneumococos também é diferente: quando injetados em ratos, os pneumococos capsulados causam a pneumonia e levam à morte. Os não capsulados, ao contrário, não são nocivos. A presença ou ausência de cápsula e a virulências são atributos genéticos, isto é, passam de geração para geração.

    Na tentativa de obter uma vacina, Griffith injetava pneumococos capsulados mortos em ratos. Em uma das experiências, ele injetou uma mistura de pneumococos capsulados, mortos pelo calor, com pneumococos não capsulados vivos. Os camundongos morreram inesperadamente. O mais estranho, no entanto, foi a descoberta de que no sangue dos ratos havia penumococos, com cápsula, vivo.

    Foi levantada a hipótese de que alguma substância havia passado das bactérias capsuladas mortas para as não capsuladas vivas, modificando-as geneticamente. Para testar a hipótese, as experiências foram repetidas em meio de cultura, fora, portanto, do corpo de animais. Uma cultura de bactérias capsuladas foi morta por aquecimento, em seguida, as bactérias foram trituradas, obtendo-se um extrato com todas as substâncias presentes naqueles microrganismos.

    O extrato foi adicionado a uma cultura de bactérias não capsuladas, vivas, algum tempo depois, viu-se que algumas das bactérias apresentavam cápsula! Além disso, quando essas bactérias se reproduziam, seus descendentes apresentavam cápsula e eram capazes de provocar a doença, quando injetados em ratos. Parecia claro que alguma substância do extrato havia transformado geneticamente parte das bactérias sem cápsula, que assim adquiriram não somente cápsula, como também virulência. Restava descobrir que substância do extrato era capaz de prover essa transformação genética.

    Em 1944, os geneticistas norte-americanos Avery, MacLeod e McCarthy publicaram seus resultados: haviam conseguido isolar do extrato a substância transformante; era o DNA (ácido desoxirribonucleico) de bactérias capsuladas que, quando incorporado por bactérias não capsuladas, fazia com que elas também produzissem cápsula e causassem pneumonia. Provou-se, assim, que o material genético era realmente um ácido nucleico, e não uma proteína, como se acreditava até então.

    Em 1953, dois pesquisadores, Watson e Crick, propuseram um modelo da estrutura da molécula de DNA em forma de dupla hélice. A compreensão da estrutura do DNA levou a entender as propriedades dos genes e impulsionou todas as pesquisas sobre genética molecular, que continuam até hoje.

 

  1. Em bactérias, a presença da cápsula gelatinosa está relacionada com sua genética?
  2. Em bactérias, a sua virulência, isto é, o poder de causar doenças, está relacionada com sua genética?
  3. Qual foi o fato que chamou a atenção de Griffith em um dos seus experimentos?
  4. Que resultado era obtido ao adicionar o extrato das bactérias capsuladas à cultura de bactérias não capsuladas?
  5. Que substância do extrato era capaz de operar a transformação genética das bactérias não capsuladas? Explique como os pesquisadores chegaram a essa conclusão.

Deixe uma resposta