Trutas vão desaparecer da Península Ibérica até ao final do século

Um estudo realizado por investigadores da Universidade Complutense de Madrid conclui que até ao final deste século a truta (Salmo trutta) pode estar extinta na Península Ibérica. Os motivos são os mesmos que ameaçam outras espécies: o aquecimento global, a contaminação e a sobrepesca.

No caso deste peixe, a principal causa é o aumento global das temperaturas que afeta especialmente a família dos Salmonidae, muito sensíveis às alterações pois necessitam de água fresca e limpa para viver. O estudo está publicado na «Global Change Biology».

As mudanças no habitat da truta serão drásticas, alertam os investigadores. Em 2040, o seu habitat estará reduzido a metade e antes do fim do século terá desaparecido completamente, e com ele as populações de truta.

Os cientistas analisaram o registo de temperatura de Navarra entre 1975 e 2007. A partir de um modelo matemático, calcularam a temperatura da água dos rios dessa região. A primeira autora do estudo, Ana Almodóvar, esclarece que desde 1986 que se regista uma subida acentuada e a tendência é para que a temperatura continue a subir.

A equipe também monitorizou populações de trutas em 12 rios da bacia do Ebro e observou que o aquecimento estava associado a uma diminuição das populações deste peixe. Mesmo no melhor dos cenários a situação da truta será um desastre, adverte a investigadora.

Os resultados podem ser extrapolados para outras regiões da Península Ibérica e mediterrânicas, como as penínsulas Itálica, Balcânica e Anatólica, pois estas zonas são muito vulneráveis às variações climáticas e à diminuição da quantidade de água.

Fonte: <http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=55423&op=all>

Deixe uma resposta