Filo Mollusca

CARACTERÍSTICAS GERAIS

Do latim molluscus = “mole”, devido à consistência corpórea. Seus representantes mais conhecidos são Polvos, lulas, lesmas, caramujos, ostras e mariscos. Filo formado por mais de 90 mil espécies viventes e 70 mil fósseis. Sua origem data de mais de 500 milhões de anos.

CARACTERÍSTICAS CORPORAIS

O corpo da maioria dos moluscos pode ser dividido em três partes fundamentais:

Cabeça: anterior, que abriga o encéfalo e os principais órgãos sensoriais, como olhos e tentáculos.

Pé: musculoso e adaptado à locomoção, pode modificar-se em tentáculos, em algumas espécies.

Massa visceral: abriga a maior parte dos órgãos corporais, como o estômago, o coração e os órgãos reprodutivos e excretores.

 

 

 

 

 

 

 

 

Seu corpo é recoberto pela epiderme, que secreta uma cutícula (formada por proteínas e aminoácidos).

Possuem um manto que recobre a massa visceral na região dorsal. O manto contêm as glândulas responsáveis pela secreção da concha.

Entre a epiderme e o manto existe um espaço denominado cavidade do manto (palial), que  nas espécies aquáticas permite a circulação de água. Nesta cavidade estão presentes as brânquias, as aberturas dos sistemas excretor, reprodutor e do ânus. Algumas espécies aquáticas possuem um sifão inalante e exalante que recolhem e devolvem a água de uma região mais distante do corpo.

A concha serve de proteção contra predadores e também contra a desidratação, no caso dos moluscos terrestres.

  • Univalves: concha formada por uma peça única. Exemplo: caracóis.
  • Bivalves: formada por duas peças articuladas. Exemplo: ostras
  • Em alguns moluscos a concha é interna e formada por um material semelhante à cartilagem, servindo na manutenção do formato hidrodinâmico.

HABITAT

Águas marinhas, água tropicais e polares, habitando desde as profundezas abissais até as águas de superfície.

Há também moluscos de água doce, habitando lagos e rios.

Há alguns habitam o ambiente terrestre.

NUTRIÇÃO

            Há herbívoros, predadores e filtradores.

Nos herbívoros e predadores há na boca uma estrutura chamada rádula, que é utilizada para raspar a superfície  retirando alimentos.

Nos filtradores a rádula está ausente. As partículas de alimento são retidas nas brânquias ciliadas que conduzem até á boca.

TAMANHO

Alguns são milimétricos e outros podem alcançar mais de 20 metros de comprimento. A maioria não excede 5cm de comprimento da concha.

RESPIRAÇÃO E CIRCULAÇÃO

As trocas gasosas ocorrem através de brânquias (ctenídios). Em muitas espécies ocorre através da superfície do mato e nos moluscos terrestres desenvolveu-se um tipo de pulmão (cavidade do manto ricamente vascularizada).

Possuem sistema circulatório aberto, possuem coração e o sangue flui nas cavidades corporais e nos interior dos vasos.

EXCREÇÃO

Ocorre por um ou mais pares de rins, denominados metanefrídios.

SISTEMA NERVOSO E SENSORIAL

Centralizado e ganglionar à vários pares de gânglios ligados entre si por cordões nervosos ventrais, sendo o gânglio cerebral o mais desenvolvido.

Moluscos gastrópodes à quatro pares de gânglios nervosos com funções distintas e todos interligados por conectivos.

Moluscos cefalópodes: maior desenvolvimento à gânglios nervosos agrupam-se em um cérebro (protegido por uma cápsula) à capacidade de associação, aprendizado e retenção de dados de memória. Possuem um enorme gânglio denominado estrelado e fibras nervosas gigantes que permitem condução mais rápida do impulso nervoso.

Possuem tentáculos e olhos relacionados ao sistema sensorial.

Tentáculos: contêm células táteis e quimiorreceptoras.

Olhos: em câmara ou vesícula com cristalino funcionando como lente e retina sensorial para percepção de

estímulos luminosos.

Estatocistos: equilíbrio. Nos moluscos cefalópodes os estatocistos informam ao animal não só sobre a posição de seu corpo em relação à força gravitacional mas também sobre mudanças de posição.

Osfrádios: órgãos quimiorreceptores (função gustativa e olfativa) localizados na cavidade do mato, na margem posterior das membranas branquiais (presentes apenas em moluscos aquáticos). Monitoram a corrente ventilatória que passa através da cavidade do manto. Nos moluscos cefalópodes só estão presentes em Nautilus.

REPRODUÇÃO

Bivalves: maioria dióica.

Gastrópodos: maioria monóica.

Cefalópodos: todos dióicos.

Fecundação: cruzada, interna ou externa, direta.

Desenvolvimento: externo, direto ou indireto (larva contribui para a dispersão de espécies cuja locomoção é muito limitada).

CLASSIFICAÇÃO

Considerando-se apenas as espécies viventes, os moluscos podem ser divididos em sete classes: Aplacophora, Gastropoda, Bivalvia, Cephalopoda, Monoplacophora, Polyplacophora e Scaphopoda.

 Classe Aplacophora

São moluscos desprovidos de concha, de corpo vermiforme que vivem em ambiente marinho. O manto secreta espículas calcárias e o pé é reduzido. Algumas espécies vivem em fundo arenoso enquanto outras vivem sobre colônias de cnidários. Ex.: Solenogastros.

Classe Gastropoda

Apresenta o maior número de espécies. Único grupo com representantes terrestres (além de água doce e do mar). Existem representantes com concha externa espiralada, com concha interna e reduzida e sem concha. Também apresentam pé rastejador achatado. A cavidade do manto abriga as brânquias, nas espécies aquáticas, ou os pulmões, nas espécies terrestres. Apresentam uma rádula de formato variado, dependendo dos hábitos alimentares. Ex.: Lesmas, caramujos, caracóis.

Classe Bivalvia

Apresentam o corpo achatado lateralmente, incluindo o pé, e abrigado por uma concha formada por duas valvas. Possuem representantes marinhos e de água doce. Muitas espécies apresentam pé musculoso e achatado usado para escavar a areia onde vivem. Adaptado a um modo de vida séssil, são filtradores e apresentam órgãos e sistemas reduzidos quando comparados a outros moluscos. A rádula é ausente e eles não tem olhos. A concha dos bivalves é constituída por duas peças, ou valvas, articuladas entre si.  As valvas permanecem unidas por um ligamento elástico que tende a manter a concha aberta. Para fechá-la, o animal utiliza músculos. Em algumas espécies de ostras, é possível ocorrer a infiltração acidental de pequenos objetos, como um grão de areia, entre o manto e a concha.  Nesse caso poderá haver deposição de sucessivas camadas de nácar sobre esse objeto, originando uma pérola. Ex.: Ostras e mexilhões.

Classe Cephalopoda

Reúne os moluscos mais especializados e todos os seus representantes estão restritos ao ambiente marinho.

Apresentam o pé modificado e transformado em tentáculos e em uma estrutura denominada funil ou sifão, por onde o animal elimina jatos de água usados na sua locomoção (jatopropulsão) e também tinta (anexa ao intestino), usada para fugas em situações de perseguição. Existem representantes com concha externa (Nautilus), com concha interna e reduzida (lulas) e sem concha (polvos). A rádula é bem desenvolvida em polvos, sibas e lulas, e transformada em uma espécie de bico semelhante ao das araras.

Classe Monoplacophora

Apresentam uma única concha simétrica a qual varia na forma desde uma placa achatada em forma de

escudo até um curto cone. Possuem pé rastejador achatado em formato discoidal. A cabeça é pequena e os olhos estão ausentes. Habitam o sedimento de águas profundas. A rádula é membranosa e bastante alargada, apresentando várias fileiras de dentes. Ex.: Gênero Neopilina.

Classe Polyplacophora

Apresentam uma única concha simétrica a qual varia na forma desde uma placa achatada em forma de escudo até um curto cone. Possuem pé rastejador achatado e bem desenvolvido. Maioria é herbívora, mas há espécies que se alimentam tanto de algas como de pequenos invertebrados. Ex.: Quítons.

IMPORTÂNCIA ECOLÓGICA E INDUSTRIAL

  • Servem de alimento;
  • Suas conchas também são apreciadas por colecionadores em função do seu valor estético (no passado, eram utilizadas como moeda);
  • Alguns moluscos produzem pigmentos  que na Antiguidade eram muito utilizados para fabricar tintas.

 

Deixe uma resposta